Artigo

16 Jun, 2015

Com o avançar da idade a memória vai-se deteriorando. O hipocampo, a área do cérebro responsável pela memória, perde cerca de 5% das suas células a cada década que passa. Além do mais, o envelhecimento diminui a produção de acetilcolina, um neurotransmissor vital na aprendizagem e memória.

No entanto, os investigadores descobriram que os cérebros de pessoas adultas são ainda capazes de formar novas redes neuronais de memória - um processo designado por neuroplasticidade.
Assim, fique a conhecer algumas estratégias para melhorar a sua memória.

  1. Jogue jogos para treinar o seu cérebro

  2. Quebra-cabeças como, por exemplo, o sudoku e palavras cruzadas podem melhorar a memória e atrasar o declínio do cérebro, no entanto, os investigadores ainda não compreendem o porquê. Marcel Denisi, aluno de doutoramento e autor do livro “Extreme brain workout” diz: “suponho que este tipo de jogos ative as sinapses no cérebro, incluindo as áreas associadas à memória”.

  3. Tenha uma alimentação saudável

  4. De acordo com o Dr. Gary Small, diretor da UCLA Memory Clinic, alguns alimentos ricos em antioxidantes, frutas e vegetais, protegem o cérebro contra radicais livres nocivos. Assim como hidratos de carbono de baixo índice glicémico como, por exemplo, aveia e ácidos gordos ómega-3. Um estudo recente publicado na revista Neurology descobriu que pessoas com baixos níveis de ómega-3 apresentavam cérebros de pessoas 2 anos mais velhas, em relação à sua real idade.
    Assim, uma dieta à base de peixe, vegetais e frutos secos (como nozes) é a melhor opção para uma memória saudável. Deve-se também apostar numa dieta com um baixo consumo de carne, uma vez que os ácidos gordos ómega-6 presentes na carne podem contribuir para uma inflamação nas células do cérebro, levando ao Alzheimer. Os açúcares refinados também produzem um efeito semelhante.

  5. 3. Realize uma tarefa de cada vez

  6. Mark McDaniel, professor de psicologia e investigador na Universidade de Washington em St. Louis afirmou que muitas vezes as pessoas não sabem, por exemplo, onde colocaram as chaves porque não prestam atenção. (A dica dele para que não se volte a esquecer onde colocou a chave é dizer em voz alta “Eu deixei as minhas chaves no armário” ou onde quer que as deixe). Estudos mostraram que a memória demora 8 segundos a assimilar uma informação, por isso, concentre-se na tarefa que está realizar.

  7. Adquire uma nova aptidão

  8. Um estudo recente, realizado na Suécia, concluiu que pessoas que aprenderam uma nova língua tinham uma melhor memória para nomes de pessoas, entre outras coisas.

  9. Durma bem

  10. Investigadores da Universidade da Pensilvânia concluíram que dormir pouco, cerca de 3 ou 4 horas numa noite, pode levar à perda de memória. A revista Nature Neuroscience reportou que uma forma de abrandar o declínio em adultos é ter uma boa noite de sono e dormir um número de horas suficientes. Durante um sono profundo, de 8 ou mais horas, acredita-se que o cérebro passa as memórias temporárias para memórias a longo prazo.

  11. Use mnemónicas

  12. Uma mnemónica é um bom auxiliar de memória. A mente humana tem uma maior facilidade para memorizar dados quando são associados a informação pessoal, espacial ou de caráter relativamente importante. As sequências formadas devem fazer algum sentido, ou então serão igualmente difíceis de memorizar. Por exemplo: use acrónimos, (CUL - comprar uvas e laranjas), uma rima, ou use associações para relembrar números (por exemplo, para memorizar o número 12-7575-23, poderá associar “12” ao número de sua casa, “75” à idade da sua mãe, e “23” porque era o número de Michael Jordan).

  13. Faça exercício físico

  14. Um grupo de investigadores da Universidade da Califórnia descobriu recentemente que o exercício físico pode trazer grandes benefícios mentais. O estudo foi realizado usando 2 grupos: um grupo realizou 6 minutos de bicicleta diariamente, enquanto o outro grupo não fez qualquer atividade. O grupo ativo apresentou um desempenho significativo melhor em testes de memória.
    Os investigadores acreditam que estes resultados podem estar associados à noradrenalina, que possui uma grande influência na memória.
    De acordo com pesquisa realizada em 2011, após 30 minutos de prática de exercício a memória das pessoas regista um aumento de velocidade, embora haja também uma queda de precisão.
    No entanto, o exercício deve ser de intensidade relativamente baixa, caso contrário o cérebro receberá muitos estímulos, fazendo com que os benefícios sejam perdidos.

  15. Aumente a ingestão de vitamina D

  16. Estudos sugerem que baixos níveis de vitamina D podem estar associados a uma diminuição da performance cognitiva.
    Algumas das vias metabólicas para a vitamina D estão localizadas em áreas do cérebro responsáveis pela formação de novas memórias.
    Enquanto muito sol pode causar danos na pele, uma quantidade moderada pode fornecer toda a vitamina D necessária a um adulto.

  17. Reduza o stress

  18. O stress crónico causa danos na memória, podendo causar danos a longo prazo no hipocampo. O stress nunca pode ser completamente eliminado da vida de alguém, mas pode ser controlado. Tente relaxar, praticar ioga regularmente ou outros exercícios de alongamento. Se tem stress crónico, consulte um médico o mais rapidamente possível.

  19. Não fume

  20. Fumar pode diminuir a quantidade de oxigénio que atinge o cérebro, afetando a memória. Estudos recentes descobriram que fumadores apresentavam uma pior memória em relação àqueles que não fumavam. Pessoas que fumavam mais de um maço por dia tiveram uma maior dificuldade em lembrarem-se de nomes e rostos. Fumar um maço por dia expõe uma pessoa a 1000 microgramas de tolueno (entre outras coisas), o que é altamente tóxico e pode causar confusão e perda de memória.