Artigo

23 Dez, 2015

Com a chegada da menopausa a mulher experiencia várias mudanças que podem ser mais ou menos fáceis de lidar. É uma fase da vida feminina que cria algum desconforto e até receio nas mulheres, mesmo ainda em altura reprodutiva. O medo do envelhecimento e das alterações hormonais são os receios mais comuns.

A Menopausa

A menopausa faz com que os ovários produzam uma menor quantidade de estrogénio e progesterona e ocorre entre os 45 e os 50 anos. Em casos raros, pode acontecer antes dos 40. Caso comece a atravessar esta nova fase ou se pensa que num futuro próximo pode acontecer consigo, saiba quais as principais alterações que a menopausa pode causar no seu corpo, e como as pode minimizar.

1. Alterações na pele
A pele na menopausa começa o seu processo de envelhecimento. A partir dos 45 anos, o processo de renovação celular altera-se, o colagénio e a elastina começam a ficar modificados afetando a elasticidade da pele provocando flacidez, menor hidratação natural e rugas.

Como combater:

  • Pode optar pelo tratamento hormonal de substituição (THS), sendo que este deverá ser sempre aconselhado por um médico ginecologista.
  • Deverá manter os seus cuidados diários de limpeza da pele e hidratação. Como a pele fica mais seca, deverá limpá-la com uma solução de sabão livre de detergente e enxaguar com água tépida.
  • A hidratação deverá ser feita com cremes para a pele seca que sejam ricos em retinol e nunca esquecer a zona do pescoço e as mãos, pois são zonas de envelhecimento precoce.
  • Além destes cuidados para manter por mais tempo o aspeto jovem da sua pele, não se esqueça de aplicar todos os dias pela manhã um protetor solar de gama 30-50.

2. Alterações no cabelo
Na menopausa o cabelo começa a enfraquecer devido à diminuição da produção dos níveis de estrogénio, que é a hormona que auxilia o crescimento rápido do cabelo e que diminui a queda. Ao mesmo tempo que o estrogénio diminui, o androgénio aumenta fazendo com que os folículos pilosos entrem na fase de descanso mais rapidamente e que a queda de cabelo se acentue.

Como combater:

  • Siga uma alimentação rica em carne magra, fígado, peixe, legumes, ovos, iogurtes e cereais integrais.
  • Pratique exercício físico, meditação e outras técnicas de relaxamento.
  • Consulte um dermatologista para que a aconselhe um champô próprio para a sua situação.
  • Para o excesso de pêlos no rosto pode recorrer à depilação a laser ou eletrólise.
  • Faça massagens capilares.
  • Mantenha o peso equilibrado, pois o excesso de peso contribui para a formação de androgénio.
  • Pode também optar pelo Tratamento Hormonal de Substituição (THS).

3. O desejo sexual
Com o aparecimento da menopausa o desejo sexual diminui, provocando alterações físicas e psicológicas que afetam fortemente as mulheres. Com as alterações hormonais a libido também é afetada. Fisicamente o órgão feminino torna-se mais sensível, enfraquecido e o tamanho do clitóris diminui. A mulher começa a ter que lidar com o desinteresse sexual, com a diminuição do sentimento de se sentir sexualmente excitada e com a dor no ato sexual. A mulher sente-se cada vez menos feminina e pode atravessar um estado de depressão e alguma irritabilidade.

Como combater:

  • Pratique exercício físico para se sentir com mais energia e apetite sexual. Pratique também exercícios para estimulação sexual e os exercícios Kegel para fortalecer os músculos pélvicos.
  • Quebre a sua rotina sexual, sugira um encontro romântico com o seu parceiro e seja criativa.
  • Em conjunto procurem motivar a vossa vida sexual.

4. As gordurinhas - Aumento de peso
Muitas mulheres chegam à menopausa já com excesso de peso, devido ao seu estilo de vida e ou alimentação. Convém realçar que após a menopausa torna-se muito mais difícil perder peso, por isso os cuidados têm que ser redobrados.

Como combater:

  • Se tiver possibilidade agende uma consulta com uma nutricionista para que lhe defina um plano alimentar adequado para si.
  • Pratique exercício físico de forma intensiva ou moderada e encontrará um forte aliado para garantir o controlo do seu peso.

5. Alterações de humor
Muitas vezes as constantes alterações de humor nas mulheres em idade de menopausa podem levar à depressão. São originadas pelas alterações hormonais, principalmente devido ao decréscimo da produção das hormonas sexuais. Estas alterações de humor e ou irritabilidade são mais frequentes na perimenopausa (período que antecede a menopausa), diminuindo a partir desse período. É natural que sinta com maior frequência tristeza, maior instabilidade emocional e menor capacidade de combater e equilibrar estes estados emocionais.

Como combater:

  • Aposte fortemente nas técnicas de relaxamento: prefira o yoga se bem que é aconselhado todo e qualquer desporto que possa ser praticado, mas sempre com supervisionamento médico.
  • A alimentação deverá ser rica em vitaminas B6 e B12 e ácido fólico. Aposte também no zinco, visto que é uma fonte natural de bom humor e boa disposição.
  • Passe mais tempo ao ar livre, faça caminhadas e dê passeios.
  • Pode também consultar o seu médico que poderá receitar-lhe um contracetivo oral para ajudar a equilibrar o sistema hormonal.

6. Ondas de calor
Este talvez seja um dos sintomas mais conhecidos e falados quando se atinge a menopausa. Com ela surgem as ondas de calor que começam a ser sentidas no peito e sobem para a cabeça. O rosto começa a ficar com vermelhidão como se estivesse a escaldar, duram alguns minutos mas criam bastante incómodo para a mulher e durante a noite surgem como suores frios fazendo com que a mulher acorde com a roupa húmida. E talvez seja por aqui que a mulher começa a perceber que está prestes a entrar na menopausa.

Como combater:

  • Vista-se em camadas como no inverno. Quando começar a sentir o calor vai tirando algumas peças até ficar mais confortável. Quando se sentir num estado mais confortável, volta a vestir.
  • Evite a ingestão de bebidas quentes, tal como estar em lugares quentes ou abafados.
  • Aconselha-se também a diminuição ou mesmo, o não consumo de álcool, café, tabaco e comidas picantes.

7. Secura vaginal
Com a diminuição da quantidade de fluidos produzidos pela vagina, surge a secura vaginal. Os incómodos causados são as irritações, o ardor, a dor no ato sexual e ainda uma sensação de queimadura na zona genital. Pode ainda ser acompanhada de outros sintomas tais como, pressão, mais vontade de ir à casa de banho, menos lubrificação vaginal e até desconforto ao vestir calças.

Como combater:

  • Converse com o seu médico para que ele possa averiguar quais as principais causas que estão a originar este problema.
  • Aposte na ingestão de soja e linhaça.
  • Consuma bastante água de modo a manter-se sempre hidratada.
  • Nos cuidados de higiene íntima, evite duches vaginais e faça uma limpeza no sentido da vagina em direção ao ânus.
  • A roupa não deverá ser muito justa e de preferência não deve ter fibras sintéticas.
  • Utilize um lubrificante durante as relações sexuais, pois aconselha-se que mantenha uma vida sexual ativa.

8. A osteoporose
Com a diminuição da produção do estrogénio a densidade óssea também diminui, o que leva ao enfraquecimento dos ossos. Regra geral manifesta-se como dores nas costas, perda gradual de altura e posição de costas curvada. Consultando um médico, o mesmo poderá solicitar-lhe que efetue o exame de diagnóstico que se designa por Densitometria óssea para averiguar se no seu caso é propensa à doença, ou se é um fator de risco para si.

Como combater:

  • Aumente a prática de exercício físico.
  • Tenha uma dieta alimentar rica em cálcio, presente no leite, iogurtes, couve-flor. Prefira as verduras de cor escura, brócolos, couves e peixes gordos que são ricos em ómega 3.
  • Ponha de lado o consumo de álcool e tabaco.
  • A TSH também poderá ser uma forma de tratamento.
  • Faça caminhadas e apanhe sol nas horas indicadas.

9. Aumento do risco cardiovascular
A menopausa e a sua deficiência e desequilíbrio hormonal aceleram o processo aterosclerótico, que faz com que a saúde dos vasos sanguíneos se deteriore. É natural por isso que as mulheres possam somar aos sintomas já enumerados, colesterol alto, diabetes tipo 2 e hipertensão arterial.

Como combater:

  • Mantenha o controlo frequente destes fatores, fazendo as medições destes valores regularmente e na eventualidade de atingirem níveis elevados deve tomar as previdências necessárias.
  • Aconselha-se também que deixe de fumar, ingerir álcool, que pratique exercício físico, pelo menos 30 minutos diários e que a alimentação seja rica em frutas, legumes e vegetais.

10. Insónias
Com o avançar da idade a propensão para as insónias e noites mal dormidas aumenta, o que causa um grande desconforto na mulher. Uma noite mal dormida significa maior cansaço e menor energia, além disso a capacidade de concentração também diminui.

Como combater:

  • Não ingira grandes quantidades de líquidos à noite, não beba bebidas com cafeina, evite comer chocolate e prefira leite morno.
  • Não se deite com fome da mesma forma que não se deverá deitar com a sensação de enfartamento ou de estar muito cheia. O ideal são refeições mais leves à noite mas ricas em nutrientes.
  • Mantenha uma rotina diária da hora de deitar e hora de levantar.
  • Se não conseguir dormir não fique às voltas na cama, não olhe incessantemente para o relógio, levante-se e beba um copo com água, ou um chá calmante.
  • Pode ainda arriscar-se nas terapias alternativas como meio complementar, principalmente no reiki, aromaterapia ou shiatsu.

11. Mais cansaço
Noites mal dormidas diminuem a energia, logo o cansaço acentua-se. A falta de ferro também é responsável pelo cansaço mais frequente.

Como combater:

  • Procure ter uma dieta rica em ferro, com alimentos como beterraba, frutos vermelho, vegetais de folha escura.
  • Fale com o seu médico para verificar a possibilidade de poder tomar um suplemento que a ajude a ter mais energia e vitalidade.

12. Diminuição da atenção e memória
É habitual que no início da menopausa as mulheres comecem a sentir lapsos de memória com maior frequência, também resultantes da diminuição de produção de estrogénio, que é responsável por variadas funções cerebrais. O importante é não se deixar afetar por esta situação de modo a criar também episódios de depressão ou maior irritabilidade. É natural que por vezes se esqueça onde deixou um objeto ou que já não se lembre com tanta exatidão de factos passados da sua vida. E com isto vem também a falha na concentração.

Como combater:

  • Beba bastante água, e prefira os alimentos ricos em ómega 3, que tal como os que são ricos em vitamina B, C, D e E são ótimos para potencializar as capacidades da memória.
  • Aconselha-se a que disponha de tempo para si para meditar, relaxar, passear para que desta forma também possa ter uma noite de sono mais tranquila.
  • Faça jogos para treinar a memória e para mantê-la mais ativa.