Artigo

30 Jun, 2015

A perturbação bipolar é a terceira doença de humor mais comum, a seguir à depressão major e ao transtorno distímico (ou distimia). Nesse sentido, é impossível olhar para esta doença sem preocupação, até porque a doença bipolar pode ser bastante incapacitante quando não tratada. Os doentes, assim como as suas famílias, devem estar bem informados para que se possam munir de ferramentas eficazes para gerir e superar os sintomas da doença. Este artigo é um bom começo.

    Alimentação adequada


  1. Faça da alimentação, um poderoso aliado
  2. Certamente já ouviu a expressão: somos o que comemos. Esta expressão aplica-se a tudo na nossa vida e aqui não é exceção – é fundamental fazer uma alimentação equilibrada e saudável de forma a manter o organismo igualmente saudável. A bipolaridade está associada a sintomas de depressão elevados que podem estar associados a um défice de vitaminas causados por uma má alimentação, por isso, não descure uma dieta salutar.

  3. Coma mais ácidos gordos e ómegas 3
  4. É importante que adquira o hábito de suplementar a dieta diária com ácidos gordos e ómegas 3, uma vez que a carência destes está muitas vezes associada a sintomas de depressão intimamente ligados à bipolaridade. Estes podem ser encontrados em peixes gordos, caso do salmão, mas também pode tomar um suplemento de ómegas que encontra facilmente à venda em farmácias e ervanárias.

  5. Cuidado com o café e o álcool
  6. Por norma, o doente bipolar é acompanhado pelo seu médico e encontra-se devidamente medicado. Estes medicamentos não devem ser tomados em conjunto com bebidas alcoólicas, uma vez que podem ter interações perigosas que podem desencadear/agravar sintomas da doença. Em relação à cafeína presente no café, refrigerantes ou bebidas energéticas, esta interage com o sistema nervoso, podendo também desencadear sintomas depressivos, daí a importância de evitar estas duas substâncias. Caso sinta necessidade de beber um café pela manhã, por exemplo, deve consultar o seu médico.

  7. Nunca salte refeições
  8. Saltar refeições faz com que o metabolismo deixe de funcionar corretamente, deixando qualquer pessoa “rabugento” ou irritadiço, algo que qualquer doente bipolar deve evitar. Ao fazer todas as refeições às horas habituais, vai garantir um estado de humor estável e manter os sintomas da doença controlados.

    Evitar e superar sintomas com terapias


  9. Procure ajuda na psicoterapia
  10. O principal objetivo de um psicoterapeuta é ajudar os doentes bipolares a encontrar formas de gerir eficazmente os sintomas da doença, nomeadamente em termos emocionais, considerando que quem sofre de bipolaridade sofre muitas vezes com sentimentos de culpa e de desespero.

  11. Psicoterapia familiar
  12. O doente bipolar precisa do apoio da família, pois, esta é uma doença onde todo o apoio é fundamental. A psicoterapia familiar será crucial para que o doente e o seio familiar aprendam a gerir e a superar os sintomas da doença em conjunto, assim como, criar um plano de tratamento que a família irá ajudar o doente a manter.

  13. Psicoterapia cognitivo-comportamental
  14. Este tipo de terapia tem como principal alvo os sentimentos e os comportamentos disfuncionais que caracterizam a bipolaridade, incentivando assim mudanças positivas. O psicoterapeuta trabalha com o doente bipolar de forma a reconhecer quando o doente tem um episódio maníaco ou depressivo associado à bipolaridade, mostrando que tipo de estratégias pode usar para os superar.

  15. Massagens terapêuticas
  16. Stress gera stress, o que pode ser muito problemático para o doente bipolar. As massagens terapêuticas de relaxamento podem ser bastante benéficas para aliviar os pontos de tensão acumulados pelo doente bipolar, de forma a relaxar, evitando assim os picos de stress que podem desencadear um episódio mais forte.

  17. Considere terapias alternativas
  18. Atualmente, as chamadas terapias alternativas – caso da acupuntura – têm dado provas em tratamentos de stress acumulado, fundamental para que o doente evite sintomas da doença. É fundamental que o doente bipolar se encontre o mais estável possível, evitando picos de stress que, por sua vez, podem fazer disparar períodos de depressão. Converse com o seu médico sobre este tipo de alternativas.

    Estilo de vida aliado ao desporto


  19. Faça desporto
  20. Quando se pratica algum tipo de atividade física, o organismo liberta endorfinas que melhoram o humor e deixam qualquer pessoa mais feliz e com mais energia. Daí a importância de o doente bipolar fazer exercício físico de forma regular – só tem a ganhar!

  21. Alta autoestima
  22. A prática regular de exercício físico modifica o corpo, que se torna mais forte e tonificado. Em contrapartida, a sua imagem ao espelho torna-se mais agradável, melhorando consequentemente a autoestima e a autoconfiança – um reforço importante para quem é bipolar.

  23. Escolha um desporto de que gosta
  24. Tão importante como fazer desporto é fazer um de que gosta: assim, não só mantém a regularidade, evitando desculpas e desistências fáceis, como vai praticá-lo com vontade e não como uma obrigação (o que poderia ser um causador de stress).

  25. Experimente ioga ou pilates
  26. Se não é adepto de desportos mais mexidos, pode sempre optar por modalidades mais tranquilas e meditativas, como o ioga ou pilates. São modalidades perfeitas para os doentes bipolares, uma vez que são propícios ao relaxamento.

    Dia-a-dia tranquilo


  27. Durma bem
  28. Dormir e acordar sempre à mesma hora é fundamental para que quem sofra de bipolaridade possa manter os sintomas da doença controlados. Quando dormimos mal temos alterações de humor e para um doente bipolar isso pode ser o suficiente para desencadear um período depressivo.

  29. Mantenha um diário
  30. Outra boa estratégia para ajudar a gerir e a superar os sintomas da doença bipolar passa por manter um diário onde anota as situações do dia-a-dia que o irritam, que o deixam feliz, o que fez, o que não fez, o que comeu, como se sentiu, basicamente tudo aquilo que ache relevante para o controle da doença. Este registo pode ser fundamental para evitar aquilo que desencadeia episódios, mantendo assim a doença controlada.

  31. Afaste-se das pessoas tóxicas
  32. Por vezes, é importante afastar-nos daquelas pessoas que não nos fazem bem e estarmos apenas com quem nos faz sentir feliz. Isto é válido para todos, mas para o doente bipolar é fundamental.

  33. Aprenda a dizer não!
  34. Seja assertivo: se não quer ir àquele sítio ou fazer aquela atividade, diga não. Aprender a dizer não pode ser um processo extremamente libertador para um doente bipolar, podendo mesmo evitar surtos stressantes e depressivos.

  35. Desabafe com os seus amigos
  36. Tenha amigos de confiança e desabafe com eles sobre tudo aquilo que lhe vai na alma – sejam preocupações grandes ou pequenas, não guarde tudo para si, pois, isso pode desencadear períodos depressivos. Existem muitas formas de melhorar o dia de uma pessoa doente e esta é, sem dúvida, uma delas!

  37. Passeie ao ar livre
  38. Os doentes bipolares devem evitar ficarem fechados em casa – a Mãe Natureza é um das melhores terapias naturais existentes, por isso, faça questão de passear muito ao ar livre, no parque da cidade, na praia ou no campo.

  39. Adote um animal de estimação
  40. Está provado que um animal de estimação é um poderoso antidepressivo e uma excelente companhia seja para quem for, por isso, para um doente bipolar traz ainda vantagens extra.