Artigo

25 Jul, 2016

Viver com a dor sempre por perto, como é o caso dos doentes fibromiálgicos, não é fácil. Junto com a dor, pode surgir desgaste emocional, insónias, distúrbios intestinais e cansaço extremo. Embora ainda não exista um tratamento oficial para esta doença, quem com ela vive já sabe que há várias coisas que pode fazer para eliminar ou atenuar os sintomas. Entre elas, existe uma muito importante: melhorar a alimentação, pois uma alimentação adequada é uma arma poderosa para combater a fibromialgia. Assim sendo, o primeiro passo é saber como gerir esta relação!

Fruta e vegetais

A fruta e os vegetais devem estar presentes na dieta de quem sofre de fibriomialgia. Numa dieta equilibrada, 5 porções são a quantidade ideal. Pode optar por 2 porções de fruta e 3 de legumes, ou vice-versa. Para além destes alimentos terem uma baixa quantidade de açúcares, serem ricos em fibras, antioxidante e fitoquímicos, são livres dos aditivos (por exemplo, conservantes) que tanto prejudicam quem sofre desta doença.

Peixe

O peixe deve ser o alimento rei para os doentes de fibromialgia. A primeira opção deve ser o peixe gordo, pois apresenta benefícios para o coração e para o bem-estar em geral, visto ser rico em ómega 3. Como alimento fortalecedor do estado de saúde, é essencial para o doente fobrómialgico. Mas o ómega 3 não se encontra apenas no peixe, frutos secos e algumas sementes são também excelentes fontes desta gordura saudável.

Cafeína

Como a fibromigia causa insónias frequentes, é normal que quem sofre desta doença beba uma grande quantidade de café ao longo do dia, para se manter acordado. No entanto, este é um erro crasso. O café tem propriedades estimulantes, o que pode agravar a dor e provocar stress e ansiedade. Para além disso, pode ser o café que prejudica os ciclos de sono. É importante deixar de beber café, pois manter um sono regular é essencial para o bem-estar de um doente fibriomiálgico.

Carne

No que diz respeito à proteína é importante escolher proteína magra. As carnes gordas são menos saudáveis, pelo que podem prejudicar os sintomas da doença. O ideal seria evitar os artigos de origem animal, visto que estes podem prejudicar as reações inflamatórias.

Carboidratos

Os carbohidratos devem ser evitados de forma a manter uma dieta baixa em calorias. O primeiro passo deve ser trocar os “brancos” pelos “castanhos”, ou seja, optar por alimentos intregrais. O pão, a massa e o arroz devem ser os primeiros alimentos a ser alterados.

Alimentos frescos

Alimentos frescos… sempre! Os alimentos naturais são os que apresentam mais e melhores benefícios para a saúde. Relativamente aos alimentos processados devem ser eliminados da dieta, pois apresentam uma enorme quantidade de sal e gordura, o que é prejudicial e pode ser um agravante para as dores.

Principais alimentos a evitar:

  • Alimentos ricos em gordura saturada: carnes vermelhas ricas em gordura, enchidos, manteiga…
  • Álcool
  • Sal
  • Açucar refinado
  • Alimentos fritos
  • Fast food
  • Doces
  • Alimentos pré-cozinhados

4 conselhos que vão ajudar:

1- Cada caso é um caso e a influência dos alimentos nos sintomas da fibromialgia é variável de pessoa para pessoa. É importante que fazer diário de alimentação onde se deve apontar tudo o que se come, o respetivo horário e os sintomas diários Ao final de alguns dias, vai ser simples perceber quais os alimentos que podem influenciar negativamente a doença.
2- Criar um plano de alimentação semanal.
3- Todas as escolhas alimentares de um doente com fibromialgia devem ser conhecidas e aprovadas pelo médico que o acompanha.
4- Procurar grupos de pessoas que sofram de fibromialgia é uma boa forma de receber conselhos alimentares por parte de quem sofre da mesma doença.