Artigo

29 Maio, 2015

A Fibromialgia, à qual costumo chamar a dor que nunca mais acaba, nasce a partir de traumas, esses traumas podem ser físicos (operações, acidentes de viação, etc.) ou emocionais (morte de alguém querido, traição, etc.). No meu caso em particular a fibro desenvolveu-se a partir de uma intervenção cirúrgica feita à coluna. Após esta cirurgia a dor começou a migrar para outras zonas do corpo e começou o meu sofrimento. Depois de muitas consultas com este médico que me operou, e este dizer-me que não tinha nada, que era tudo da minha cabeça, decidi mudar de médico, e assim andei durante alguns anos até encontrar uma médica que me diagnosticou a fibromialgia, aproveito para realçar que a minha médica é de medicina geral, portanto nem foi um neurologista nem um reumatologista que a diagnosticou apesar de ter consultado muitos.

Quais os principais sintomas da fibromialgia?

Quem tem fibro sabe que o sintoma primordial e o pior é a dor. Esta dor pode ser moderada ou variar até severa e pode afectar praticamente o corpo todo e é a partir desta dor que se desencadeiam todos os outros sintomas associados á fibro, a fadiga, as contracturas musculares, a rigidez, os distúrbios gastrointestinais, o distúrbio da articulação temporomandibular, a insónia, as dores de cabeça, os espasmos musculares, a falta total de energia, perturbação na visão e a depressão. Na realidade tudo isto começa com a dor, a dor desencadeia reacções no nosso organismo que vão acabar por provocar todos os outros sintomas. A dor quando aparece os nossos músculos como um reflexo natural contraem-se como protecção, ora esta contracção do músculo vai criar mais tensão nos nervos, ligamentos e tecidos do corpo criando ainda mais dor até que se torna numa bola de neve. Se pensarmos na fadiga, rigidez, o intestino/estômago irritável, distúrbio no maxilar etc., tudo isto é provocado pelo trabalho anormal dos músculos, a contracção e a rigidez que foi desencadeada pela dor. Obviamente que a depressão e o desespero acabarão por aparecer, imaginem uma dor de dentes todos os dias, todas as semanas, todos os meses e que nunca mais acaba, quem não ficaria deprimido?

Como combate a dor provocada pela fibromialgia?

Meus amigos/amigas a dor alimenta-se da própria dor, é fundamental combatê-la. Como fazê-lo? Pois, para começar a medicação é imprescindível, os relaxantes musculares para o músculo, os anti-inflamatórios porque apesar da fibro não ser de origem inflamatória, ela provoca inflamação em partes do corpo que tem de ser combatida. O suplemento vitamínico para a fadiga, o magnésio que dá energia e recupera os músculos, os analgésicos para atenuar a dor, a medicação para ajudar a dormir bem, uma noite bem dormida ajuda ao relaxamento dos músculos e finalmente os mal-amados antidepressivos. Queria explicar que estes medicamentos para a fibro não visam apenas tratar a depressão em si, mas também actuam na dor neuropática e promove a concentração no nosso cérebro de uma maior quantidade de algumas substâncias (serotonina, noradrenalina, etc.) que são responsáveis pelo nosso bem-estar e ajudam a combater a dor, por isso estes medicamentos têm mais do que apenas a função de tratar a depressão. A medicação deve ser passada por um médico e tomado de acordo com este, já que esta varia de caso para caso e alguns são mais eficazes para algumas pessoas do que para outras.
Praticar exercício físico é fundamental, ajuda a não aumentar de peso, reforça o tónus muscular, liberta substâncias que actuam sobre a dor e aumenta o nosso bem-estar e auto-estima.
Uma boa alimentação, uma alimentação variada para manter os elementos do seu corpo no nível certo. Dormir o suficiente, é durante o sono que recuperamos o corpo para o próximo dia, uma noite mal dormida não dá oportunidade ao corpo e seus músculos de recuperarem e relaxarem. Alguns pequenos truques para além da medicação para dormir bem, mantenha a cama a uma temperatura agradável, com o menos de luz ou ruído possível, se quiser use uns tampões de cera para os ouvidos, vai ver como conseguirá descansar melhor e não acordará tão facilmente.

O que considera da realização de exercício físico?

Não se deixe ficar parado/a. O exercício físico (andar, correr, natação, pilates, hidroginástica, etc.) deve ser sempre feito a um ritmo moderado e nunca exagerado, faça à sua velocidade, ao seu ritmo e sem pressas já que o exercício mal feito ou violento em vez de bem, vai fazer-lhe mal. No início pode fazer 15 minutos e fazer-lhe bem ao invés de forçar uma hora e fazer-lhe mal, procure o seu ritmo
A hidroginástica e natação fazem muito bem, o único senão é a água raramente está à temperatura ideal para um praticante de natação quanto mais para um fibromiálgico. Correr a ritmo baixo/moderado com uma boa sapatilha, sem esforço exagerado, começar devagar e com o passar do tempo ir aumentando a duração mas atenção sempre sem exagero, muito importante o exercício físico moderado faz maravilhas, o exercício violento ou exagerado só vai piorar os seus sintomas, cada um tem o seu ritmo, encontre o seu. Para aqueles que acham impossível praticar exercício, sem força, com muita dor, eu compreendo, também tenho fibro e nas fases mais dolorosas tenho que fazer um grande esforço para não parar, nesse caso ande, sim ande a pé, 10 minutos, 20 minutos, o que conseguir, sempre ao seu ritmo sem grande esforço, vai ver que após algumas caminhadas até começa a saber bem. Andar é um dos melhores exercícios e é grátis, fortalece os músculos, ajuda o nosso sistema cardiovascular, faz-nos sentir menos incapacitados e através da libertação de determinadas substâncias até faz-nos sentir melhor psicologicamente. Acima de tudo perceba que apesar das dores e da fadiga, ficar sem fazer nada ou sem praticar exercício, descanso não é aconselhado nem vai ajuda-lo(a) na fibromialgia.

O que considera sobre as terapias naturais?

Existem dúvidas em relação à eficácia das chamadas terapias naturais. Eu, como já fiz osteopatia, fisioterapia, pilates e acupuntura vou dar-vos a minha opinião em relação a elas. Primeiro deixar claro que deixei de fazê-las por razões exclusivamente económicas, ser doente em Portugal sai caro e manter qualquer uma destas terapias alternativas não é para todos. A acupuntura que todos nós sabemos que é a terapia que usa as agulhas em determinados pontos do nosso corpo, ora esta é considerada muito boa para a fibromilgia, eu pessoalmente digo-vos que é bastante relaxante e que dá um alívio na dor mas infelizmente de muito pouca duração, mal acaba a sessão e num curto espaço de tempo as dores voltavam, sinceramente de todas foi a que me satisfez menos. As outras funcionam de maneira diferente, o alívio não vem logo, só depois de algumas sessões sentimos um alívio e com o decorrer do tempo este alívio tende a melhorar, atenção não cura nem nos tira a dor por completo mas no meu caso dava-me um alívio e, nós fibromiálgicos sabemos o quanto um alívio é importante para nós. Devo dizer que a quiropraxia e osteopatia para quem tem problemas associados da coluna, como é o meu caso, podem após algumas sessões libertar tensões acumuladas nas nossas vertebras, articulações e músculos promovendo um melhor estar. Pilates tem como vantagem o facto de promover alguns músculos que normalmente pouco usamos na movimentação do dia-a-dia, dando uma maior estabilidade ao nosso corpo e fortalecendo um tónus muscular, quando todos os músculos estão a funcionar em sintonia o nosso corpo funciona e reage melhor.

Considera que o diagnóstico da fibromialgia é demoroso?

No meu caso foram precisos 4/5anos que é a média de anos que a fibromialgia demora a ser diagnosticada no mundo, e vocês? Quanto tempo foi? Ora não vou pôr-me com meias palavras, isto acontece ainda por falta de informação mas principalmente por médicos com falta de competência e formação como deve ser, já que muitas ao não verem, ao não compreenderem, ao não se informarem perante o desconhecido preferem fazer de conta que não existe aumentando o desespero dos pacientes e aumentando também o tempo do diagnóstico. A parte mais triste é que a fibro, que não tem cura, não é uma doença fatal por si só mas infelizmente já existem variadíssimos casos no mundo de pessoas que acabaram por suicidar-se por não terem o devido apoio e não saber lidar com o desespero que ela provoca. Não deixe isto acontecer consigo, arranje um médico informado, que a/o compreende e que a/o ajude, tente não desesperar e muita força interior.
Na dificuldade que temos num diagnóstico no menor tempo possível, ora em relação a isto, nós, pacientes, apenas podemos ir correndo de médico em médico até encontrarmos aquele que esteja bem informado em relação à doença e que nos ajude.
Um mito criado à volta da fibro é que esta é uma doença do foro psiquiátrico, para isto infelizmente muito contribuíram alguns médicos que por desconhecerem a doença, classificam-na assim, tive um médico que chegou a dizer-me na cara que não tinha dores, era tudo da minha cabeça. Recentemente li um artigo em que uns pesquisadores (creio que franceses),conseguiram através de um exame novo ao cérebro detectar que as substancias responsáveis pela diminuição da dor eram menores nas pessoas com fibro do que nas pessoas saudáveis e que em casos de operações como o meu, a zona intervencionada tinha triplicado o número das nervações, aumentando assim as vias de envio de dor ao nosso cérebro, por isso até fisicamente já se começa a provar a real existência desta patologia. Outra coisa que leva os médicos a pensar tratar-se de uma doença psicológica consiste no facto da maioria dos pacientes apresentarem um quadro de depressão que como já expliquei é provocada pelo autêntico massacre doloroso pelo qual o fibromiálgico tem de passar, desenvolvendo assim quadros depressivos. Para que não restem dúvidas a depressão é consequência da fibro e não a sua causa, e obviamente tem de ser tratada também como toda a outra sintomatologia.

O que influencia a doença?

Uma das coisas que influencia a doença são as mudanças climáticas, em particular o frio. Ora isto também é facilmente explicável, o frio contrai os músculos ao contrário do calor que os relaxa. Agora imaginem com a dor, os músculos já encontram-se mais contraídos e rígidos do que o normal, o frio só faz com que esta contracção e rigidez aumentem, levando a que os músculos pressionem ainda mais os nervos, tendões e ligamentos e aumentando assim a dor e começando um ciclo que se torna vicioso. Proteger-se do frio é muito importante, só o ar condicionado muito forte por vezes é suficiente para desencadear uma crise. Eu pessoalmente era uma pessoa que andava no inverno de manga curta, agora é impossível, os fibromialgicos sabem que "o frio chega a doer", na verdade assim como na dor, nós também sentimos o frio numa proporção maior do que uma pessoa saudável, por isso quando tiver frio, andar bem agasalhado ,eu chego a usar luvas, tomar banho com água bem quente ajuda a relaxar os músculos.

Tem de haver força de vontade e nunca se esqueça que um dos seus maiores aliados nesta doença É VOCÊ MESMO(A).

Buno Nobrega