Psicose Paranóide, dosagem certa ou errada? Ou depressão pós-psicótica?
Qui, 17/03/2016 - 01:25
Boa noite,
sou um novo membro, estou doente com esquizofrenia desde cerca de 2000, mais concretamente tenho o diagnóstico de psicose esquizofrénica, paranóide. Estive dez anos sem internamentos até ao passado mês de Fevereiro. As alucinações e os delírios desapareceram novamente e voltei a ter noção sobre a realidade, no entanto, sinto que algo mudou ou que algo está muito errado... Abandonei as poucas coisas que fazia, afastei-me das pessoas que conhecia e privo só com família próxima. Aumentei 5kg num mês e raramente saio de casa, quase sempre estou no quarto no computador. Não tenho força, motivação nem estima para mudar nada. Leio sobre a doença e percebo que pode não ser culpa minha, mas também sei que depois de estarmos com esta doença vê-mos a nossa esperança reduzida. Estarei com sobredosagem?
O último momento de felicidade de que me lembro foi a composição/improvisação da última música (estava com Abilify, mas com severos efeitos secundários). É de notar que quando adoeci pensei nunca mais poder tocar, nisso surpreendi-me. Penso que esta medicação ou não me favorece ou não está na dose certa, estou com uma injeção de Xeplion e ainda 9mg de Invega. Gostava de perguntar se conseguiram ou conhecem alguém que conseguiu recuperar da esquizofrenia ao ponto de manter um trabalho, estudos ou uma atividade significativa? A falta de propósito preocupa-me e só me trás más ideias, ainda assim, não consigo contornar a incapacidade de reagir. Não sei se a palavra certa é avolição, tenho ideia sobre o que gostava de fazer em termos de possibilidades, mas custa a inciar, decidir, fazer e persistir.
Algumas aspirações parecem ter desaparecido e já esqueci praticamente certas metas e objetivos que as pessoas normais parecem ter. Está a ser difícil recuperar laços sociais e estou a tentar interagir por este meio também.

Miguel P.