Artigo

11 Fev, 2015

O ataque a uma enzima fundamental no processo metabólico do cancro do pulmão parece ser a chave para o desenvolvimento de um novo fármaco para tratar este cancro, segundo um estudo realizado por investigadores do Centro Oncológico Markey da Universidade de Kentucky.
Os investigadores analisaram dados metabólicos de mais de 120 pacientes com cancro do pulmão em fase inicial, com o objetivo de medir a atividade das enzimas carboxilase pirúvica (PC) e a glutaminase. Estas 2 enzimas mitocondriais estão associadas às alterações metabólicas que ocorrem nas células cancerígenas, dado que estas células necessitam de uma quantidade crescente de energia, de forma a alimentar o seu crescimento e a sua sobrevivência.

Investigação
O estudo foi publicado no mês de Janeiro na revista científica Journal of Clinical Investigation. Através da utilização de ferramentas de genética molecular, a equipa conseguiu reduzir a quantidade de carboxilase pirúvica nas células pulmonares humanas.
Ao longo do estudo, os investigadores observaram, como consequência do crescimento celular, uma degradação da capacidade de formar colónias de bactérias e novas células e uma menor taxa de crescimento tumoral em ratinhos.

A redução da quantidade da enzima desencadeou mudanças ao nível do metabolismo central das células, o que levou a concluir que a enzima PC contribui para a reprogramação metabólica registada nos estágios mais precoces do cancro do pulmão.

De acordo com a investigadora, descobrir como “atacar” esta enzima pode ajudar os investigadores a criarem terapêuticas que combatam o cancro do pulmão, constituindo uma alternativa a muitas terapêuticas já existentes, as quais são limitadas e prejudiciais à saúde.

Artigo disponível: Pyruvate carboxylase is critical for non-small-cell lung cancer proliferation, The jounal of clinical investigation.