Olá Mister Ti e Isabel,Na
Seg, 10/08/2015 - 16:04
Olá Mister Ti e Isabel,

Na altura quando tive o primeiro surto não entendi nada porque no dia a seguir já estava como uma marioneta onde a medicação era os fios para me comandar....

Quando comecei a ficar mais consciente, questionei ao meu psiquiatra...porque que não parti uma perna em vez de ter isto? Ele respondeu: - Isto é como uma doença qualquer é claro que tem que ter cuidados mas não impede de ter uma vida normal. Novamente coloquei outra questão... - Mas isto é algo crónico? Vou ter que tomar medicação para sempre? Ele: Há quem tome até aos 80 anos.

E fui mentalizando!

Depois pedi ao médico para encaminhar me para uma psicóloga, expliquei o meu caso e ela não aceitou em dar me consulta pelo raciocínio dela só o psiquiatra é que pode tratar-me.

A socialização para mim já foi muito difícil mas superei algumas minhocas que tinha estou muito melhor tenho poucos amigos mas bons e só os mais íntimos é que sabem o que passei de resto com as outras pessoas vêem me como uma pessoa normal por isso já não ando tanto com a cabeça baixa.

Isto também depende da perspectiva de cada pessoa em levar a doença porque não é simples mas difícil também não é.